segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Bodhisattva no Metro

Merci! é um filme que só pode ter sido realizado por uma pessoa que compreendeu profundamente a verdadeira natureza búdica (dos budas).
Um Bodhisattva pode ser compreendido como a sabedoria encarnada.
É um florescimento raro no planeta. E principalmente para o mundo monoteísta, uma figura quase que totalmente desconhecida.

Deixe-se inspirar por este impulso de viver a vida sem máscaras e de infeccionar outras pessoas com uma risada saudável.

Ao rirmos ou termos um orgasmo sexual, deixamos de pensar.
É um momento em que o fluxo de pensamentos deixa de percorrer nossas mentes.
É impossível rir e pensar (e gozar) ao mesmo tempo!




Christine Rabette
criou e dirigiu Merci!

Nasceu na França
e vive na Bélgica.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Cara de safado!

Há pouco entrou uma amiga no MSN e me disse:

(18:50:13) Luciana: posso falar uma coisa?
(18:50:22) Zecabatuta: Claro.
(18:50:30) Luciana: cê tá com uma cara tão lerda nessa foto...rs
(18:50:41) Zecabatuta: Sempre tive! rsrs
(18:50:44) Luciana: cara safada...
(18:50:52) Luciana: ah é?
(18:51:07) Zecabatuta: Mas é que eu sorrio muito.
(18:51:31) Zecabatuta: Nesta foto, estava num curso na Sec. de Indústria e Comércio.
(18:51:38) Luciana Neves: humm
(18:51:54) Zecabatuta: Ou seja: sem nenhum motivo para estar pensando em safadezas... kkk
(18:52:12) Luciana: ah, então é pq é assim mesmo...rs
(18:52:33) Zecabatuta: Olhei minhas fotos da premiação na FIEG e quase só eu sorria.
(18:52:46) Luciana: rs
(18:52:49) Luciana: mas isso é bom
(18:52:52) Zecabatuta: É que eu sou mesmo um cara feliz.
(18:53:01) Luciana: com certeza...
(18:53:06) Zecabatuta: E a maioria tá numa miséria interior muito grande.
(18:54:03) Zecabatuta: Vou até escrever algo a este respeito agora.
(18:54:09) Zecabatuta: Você me inspirou
(18:54:18) Luciana: manda pra mim...quero ler...
(18:54:27) Luciana: que bom que inspirei vc...
(18:54:35) Luciana: sinto-me honrada

A foto que está no MSN é esta:


O






















As interpretações são muitas. As projeções pessoais outras tantas.
Sou um cara realmente feliz!
E tenho muitos motivos, mas o melhor mesmo é a pura e simples motivação para sorrir.

Meu vizinho do lado, ex-censor da época da ditadura e mesmo assim, muito simpático, com seus vários quilos a mais e também com um jeitão de Papai Noel sem barba (mas de bigodes) disse-me: "Bosco, o que mais impressiona em você é seu sorriso. Foi a primeira coisa que notei desde que me mudei para cá."

Bom, muita gente não consegue sorrir nem de piada contada por um cômico profissional.

Vez ou outra quando vou queimar umas gordurinhas e tentar manter a barriga sem despencar, deparo-me com umas figuras na Átrio, que dá até tristeza de ver.
Além de serem cegos, são também muito tristes.
São cegos (e cegas) por não conseguirem ver as pessoas à sua volta.
Aliás, algumas fazem mesmo questão de se manterem por trás de uma parede invisível e fria...
São pessoas quase nunca sorriem.
Pode ser que, no caso das mulheres, elas achem que tenham que se proteger, pois são sabe-se lá o que...
Mas e os homens?
Bom, alguns até me acham com cara de gay. Já me disseram isto.
E o mais engraçado é que dia destes, fiz um comentário a respeito de qualquer banalidade no vestiário da academia e o sujeito do meu lado fez de conta que não ouviu. Me ignorou completamente.
Instantes depois, chegou seu 'benzinho' e aí pude sacar o motivo da frieza: teve medo de que o namorado dele pudesse ficar com ciúmes de mim.
Ai, ai, ai... e eu, que só gosto mesmo é de um bom papo e de mulheres, agora tenho que me contentar em conversar comigo mesmo.
Hoje em dia, até mesmo um homem falar com outro está difícil.
Só porque gosto de socializar e de fazer novos amigos não me torna 'safado', 'intrometido' ou 'paquerador'...

Que culpa tenho eu, se consegui me livrar de tantos motivos de 'culpa'?
Já perdi, entre dores e estertores de minhas inúmeras terapias, todos os conceitos de 'pecado' e 'punição celestiais', de falsas moralidades e de crenças em mitos sanguinários absurdos.
Que culpa tenho eu, de estar dentro de uma sociedade doente e de ter uma certa saúde interior?
Que culpa tenho eu, de sorrir de minhas próprias burrices, intolerâncias, momentos de incerteza e atá dos buracos negros de minha alma?
Nenhuma culpa!
Mas uma certeza clara e simples: eu me amo!
Por isto sorrio com a satisfação de um eterno apaixonado por mim mesmo...

E se isto faz minha cara 'safada', abro meu sorriso e ele vira uma bela e sonora gargalhada!

----------------------------------------

E no MSN, a reação dela:

(19:28:34) Zecabatuta: Pronto: http://zecabatuta.blogspot.com/2009/12/safado.html
(19:28:48) Luciana: vou lá
19:30

(19:32:51) Luciana: Muito bom...gostei...
(19:33:15) Luciana: o episódio da academia foi o máximo...rs
(19:33:21) Zecabatuta: hehehe

----------------------------------------
E para não ficar só na foto mencionada, montei um "slide show":


sábado, 15 de agosto de 2009

Johnny Barns, de Hamilton, Bermuda

O beijoqueiro que ganhou uma estátua em sua homenagem, ainda em vida!

Dias atrás recebi o link de um vídeo que me agradou tanto, que resolvi colocar legendas em Português para vocês.



Johnny Barns, atualmente com uns 85 anos de idade, levantou-se um dia inspirado.
Já fazem entre 15 a 20 anos que ele saúda os visitantes de Hamilton, em Bermuda, jogando beijos, dando 'tchauzinhos' e dizendo "Eu te amo." Motoristas de taxi relatam que ele chega por volta das 5 da manhã e permanece até as 10 da manhã, quando caminha para casa. Ele recusa ofertas de carona mesmo de seus fãs bem intencionados. - Minha tradução livre. Original aqui: www.youtube.com/watch?v=Nveq-kwVu3g

Johnny Barns: Eu te amo!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Amor é dEUs!

Tem gente que se 'acha' no direito de 'me' salvar...

Rosangela Bilio /Eugênio F. Lima!!! do Orkut são uns destes.
Me mandaram, na 'melhor' das intenções, é claro, o seguinte:



DEUS É AMOR!!
Deus nos faz PERSISTIR
Quando a noite parece NÃO TER FIM,
Deus faz NASCER O AMANHECER;
Quando caímos num PROFUNDO ABISMO,
Deus estende sua mão e NOS TIRA DE LÁ;
Quando tudo é DOR,
Deus dá o REFRIGÉRIO;
Quando o calor da PROVAÇÃO É GRANDE,
Deus dá a sombra da SUA PRESENÇA;
Quando o INVERNO PARECE INFINITO,
Deus traz o VERÃO;
Quando NÃO EXISTE MAIS FÉ,
Deus diz: ACREDITA;
Quando estamos a UM PASSO do inferno,
Deus nos dá a DIREÇÃO DO CÉU;
Quando NÃO TEMOS NADA,
Deus nos DÁ TUDO;
Quando alguém diz que NÃO SOMOS NADA,
Deus nos diz que SOMOS MAIS QUE VENCEDORES POR CRISTO JESUS!
Quando DIFÍCIL se torna o CAMINHAR,
Deus nos CARREGA NO SEU COLO...

Minha resposta:

Sim, carrega no colo...
Foi daí que surgiu a idéia de um dEUs à imagem e semelhança de nosso pai.
Só que os machões que o criaram se esqueceram da MÃE.

Para mim, o texto acima poderia também ter sido escrito usando-se a palavra 'amor' em lugar de 'deus', que soaria mais real e menos 'criacionista':

Amor é dEUs!!
O amor nos torna divinos.
Até os animais amam.
Quando a noite parce não ter fim,
O Sol aparece no horizonte
Quando caímos num abismo profundo: morremos...
Nenhum dEUs aparece por lá, de helicóptero para salvar ninguém. Ou será que o corpo de bombeiros mudou de nome?
Quanto tudo é dor, tomamos um analgésico!
Quando há muito calor, ligamos o ar condicionado.
E tornamos o planeta um pouquinho mais quente...
Quando o tormento da provação parece ser grande
é porque somos mesmo incompetentes para lidar com a situação.
Quando o inverno parece infinito,
o planeta dá uma inclinadazinha e o verão toma conta do pedaço!
Quando não existir nenhuma fé, mas consciência,
teremos nos conhecido.
Quando estamos a um passo do inferno, sabemos que a festa vai ter de tudo e que nossos melhores amigos vão estar lá: gente que gosta de música, dança, sexo e de viver!
Quando não temos mais nada, vamos trabalhar e começar tudo de novo.
Quando alguém nos diz que não somos nada,
damos uma risadinha amarela e fazemos de conta que não ouvimos: afinal somos mesmo uns hipócritas!
Quando um crente chato invade meu Orkut e fala de um "jizúiz" mítico,
eu escrevo esta respostinha aí acima para ele...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

O Mito da Perfeição

Você já parou alguma vez para pensar a respeito de uma tal de Perfeição?
É, pessoa que lê estas linhas...
Você acha que existe isto?
Já viu só o tanto de estrelas de Hollywood, de Bollywood ou de nossas telenovelas frustrantes, que tem grandes problemas com a Perfeição?
Muitos deles até se suicidam por causa dela (ou por falta da dita!)
E até nisto erram, pois o suicídio é um crime imperfeito: você sempre sabe quem foi o autor!
Bom, mas existem diamantes, você vai querer retrucar. Estes são a maior perfeição produzida pela natureza.
E sabe de uma coisa, vou provar que eles também não são tão perfeitos assim: sempre possuem alguma faceta que ainda não foi descoberta!
Bão, já que é assim, pensa você, vou citar aqui a coisa mais perfeita que existe: DEUS! (E você até eleva a voz um pouco, para reafirmar sua in-certeza através da certeza de falar a coisa mais perfeita do mundo!)
E aí é que o rumo da conversa pende para um lado perigoso: e se o cara acha ruim ser tratado desta maneira? Pois é: ele pode ficar irado e começar a despejar raios sobre sua cabeça! E aí acabou perfeição...
Quando comecei a escrever estas linhas, tinha um conceito na cabeça. Mas à medida que o branco dava lugar às letrinhas, o texto mudava dentro de mim também...
E isto acabou com o conceito de perfeição que eu tinha de uma só vez!
Agora, falando sério: - perfeição significa algo pronto, acabado, sem mais nada para ser melhorado. É isto mesmo?
Então imagine duas rosas vermelhas: uma de plástico, que de tão perfeita, até o espinho dobra quando você toca nele e seu dedo nem derrama uma gota vermelha pra fazer concorrência com a desabrochada...
Agora olhe para uma rosa de verdade: tem defeitos, espinhos que dilaceram, um odor característico, uma textura nas pétalas que não tem como ser copiada e me diga: qual é a 'mais' perfeita?
Dito isto, lembro-me do que me assustou há pouco: a palavra quase gritada 'DEUS!'.
E a balança continua pensa: se o cara realmente é perfeito, que fazer com a idéia da rosa verdadeira?
Ou seja: nosso conceito de perfeição é imperfeito em si mesmo. É uma impossibilidade existencial.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Compaixão e piedade

Hoje à tarde, coloquei a seguinte pergunta num de meus vários perfis no Orkut:

O que é piedade? O que é compaixão?
Todos somos confrontados diariamente com cenas de dor, sofrimento e morte.
E dizemos: "Coitado/a!", "Minha nossa... (seja lá o que for)!"
E muitas vezes não sabemos se sentimos dó, piedade ou compaixão.
Até mesmo quando dizemos a 'compaixão', a maioria só se lembra da sexta-feira da paixão... rsrs
Será que perdemos nossa relação com estes sentimentos?
Quem sabe me dizer qual a diferença?

PS: A pergunta é só para criar um pouquinho de equilíbrio entre a banalidade da maioria dos tópicos e é minha forma criativa de protesto.

Pouco antes de sentir-me inspirado a fazer a pergunta, havia recebido um email com o seguinte texto de meu amado mestre, o Osho:

A diferença entre compaixão e piedade - Osho

Piedade e compaixão parecem ser sinônimos no dicionário, e geralmente usamos as duas palavras com o mesmo sentido. Isso cria uma grande confusão. A piedade é circunstancial e a compaixão é resultado de um estado psicológico. Compaixão quer dizer aquilo que vem de dentro do coração da pessoa, e nada tem a ver com circunstâncias externas. A compaixão emana do coração da pessoa, mesmo que esta pessoa esteja sozinha, a compaixão emana sem motivo. É como uma flor se abrindo sozinha; vai espalhando sua fragrância. Não tem nada ver com o outro. A fragrância de uma flor é exalada, independente de ter alguém por perto ou não. O perfume da flor nasce da flor, faz parte da flor, não está relacionado com nada de fora.

A consciência interna é a fonte da compaixão, a compaixão surge dela como um perfume... A piedade nasce do coração daqueles que não tem compaixão. A piedade nasce sob a pressão das circunstâncias. A compaixão nasce da evolução do coração. O que surge em você ao ver um mendigo na rua, não é compaixão, é piedade.

A piedade fortalece o ego, enquanto a compaixão o dissolve.

A piedade é uma maneira de inflar o ego. É um bom meio, usado por pessoas "boazinhas", mas apesar disso é usada pra inflar o ego.

As sociedades baseadas no conceito judaico-cristão de piedade, não acabam com as esmolas, elas as incentivam.

Se uma sociedade com real compaixão for criada, ela não tolerará esmolas, pois nela, não existirá mendigos!!!


Guerra e Paz interior, Osho, Ensinamentos do Baghavad Gita - Capítulo: Além do Ego, pág. 165 a 167


Carlos Eduardo, o Cadu escreveu o seguinte:

"Sempre faça isso Bosco... acho que também carecemos desses temas....

A pergunta é interessante, muitas vezes não sabemos distinguir esses dois sentimentos.

Pela definição clássica, a compaixão é a simpatia pela dor ou tristeza do outro, enquanto que a piedade é sentir uma tristeza profunda pela dor ou tristeza do outro.

Agora, na prática, as duas coisas se confundem....mas, no fundo, sentimos mais compaixão do que piedade.

É muito boa essa definição do OSHO, mas mesmo assim ainda ta difícil de entender a diferença de ambos.

Ele diz que a piedade tem um motivo especial, uma circunstância externa (é verdade), enquanto que a compaixão seria um estado de espírito, um sentido sem se importar com o mundo la fora.

O certo é que ninguém quer ser motivo de piedade de ninguém, até não queremos que alguém tenha compaixão por nós.

Difícil mesmo é lidar com o estado emocional..."

Minha resposta a ele foi simples e baseada em minha experiência pessoal:

Cadu
O estado de compaixão não tem nada a ver com o sentimento de 'comiseração' que é o que a maioria sente em função da miséria de alguém, seja ela qual for.

É um estado de graça, totalmente imotivado. É um 'sentir' o coração e poder compartilhar este sentimento com todos, sem distinção. Não tem nada a ver com dó.

E então a explosão aconteceu!!!!
Recebi outro email com o seguinte vídeo:


Para mim, este é o melhor exemplo de compaixão que me poderia ter sido remetido!
Meus olhos encheram-se de lágrimas!
Meu coração transbordou de compaixão.
Alguém me acompanha?

Obrigado, Prashanto, pelos emails.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Apóie-me! [Stand by me]



Apóie-me! [Stand by me]

Fraternidade musical
exemplo de cooperação global
inspiração de carinho
tocou as cordas de meu coração
embalou-me em direção à minha rede
acariciado
amado
globalizado
sem ser alienado



Se você gosta de música planetária (world), então você pode participar de um banquete com Mark Johnson e Jonathan Wall Tocando pela Mudança: Paz Através da Música, um filme premiado no 7º Filme Festival de Tribeca. Não é realmente um documentário, mas um filme de um concerto global, gravado nas ruas de Nova Orleans, Barcelona, África do Sul, Tibete ou em outros locais, realizado pelos produtores (Johnson é um engenheiro de som e produtor premiado) ao viajarem através do globo, encontrando músicos para gravar versões de "Stand By Me" [Apóie-me] e de "One World" [Mundo Único] do Bob Marley sem que nenhum dos músicos tenham se encontrado pessoalmente. O propósito do projeto que levou à formação de uma fundação para ajudar pessoas pobres nos locais visitados é de mostrar como a música pode unir as pessoas, independentemente de suas diferenças culturais. O projeto foi executado com o par gravando e filmando estes músicos num estilo de guerrilha, depois editando-o para criar um "vídeo musical" nunca-visto-antes, destes músicos fantásticos tocando juntos estas músicas inspiradoras, assim como fazendo sua própria música.


Original text: If you're a fan of world music, then you're in for a treat with Mark Johnson and Jonathan Walls' Playing for Change: Peace Through Music, a film that premiered at the 7th Annual Tribeca Film Festival. It isn't really a documentary as much as a global concert film, recorded on the streets of New Orleans, Barcelona, South Africa, Tibet and elsewhere, as the filmmakers (Johnson being an award-winning engineer and producer) traveled across the globe, finding musicians to record tracks on versions of "Stand By Me" and Bob Marley's "One World" without any of the individual musicians ever having met each other. The purpose of the project which led to the formation of a foundation to help impoverished people in the areas visited is to show how music brings people together regardless of their cultural differences. The project had the duo recording and filming these diverse musicians guerilla style, then editing the film together to create an amazing never-before-seen "music video" of these amazing musicians playing together on these inspirational songs, as well as playing their own music.

Fonte: http://www.flixxy.com/peace-through-music-hidef.htm
Inspirado através da indicação do Vilmar Sidnei Demamam Berna,
do http://br.groups.yahoo.com/group/rebiacentrooeste

Mais a respeito: www.playingforchange.com

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Somos donos dos nossos atos?

O texto abaixo, atribuído a Mário Quintana,
chegou até a mim através do Orkut:

"Somos donos de nossos atos,
mas não donos de nossos sentimentos;
Somos culpados pelo que fazemos,
mas não somos culpados pelo que sentimos;
Podemos prometer atos,
mas não podemos prometer sentimentos...
Atos são pássaros engailoados,
sentimentos são pássaros em vôo."

Meu comentário:

Tadinho do Mário Quintana, nunca meditou,
nem aprendeu a conhecer os próprios sentimentos...
Caso contrário não escreveria uma besteira destas.

Destrincho a confusão deste texto dele assim:

Se não somos donos de nossos sentimentos,
é impossível sermos donos de nossos atos.
O sentimento de culpa é um dos mais explorados
pelas religiões para manter as pessos subjugadas
na ignorância de si mesmos.

Quem conhece os próprios sentimentos e aprendeu
a observá-los sem se identificar com eles, conhece
uma liberdade interior incomparável.

Por isto ninguém pode ser 'culpado' por sentir algo,
a única 'culpa' que conheço, se é que ela de fato existe,
é a de não demonstrarmos com autenticidade nossos sentimentos
e se fazemos algo 'culpável' é por pura ignorância de nós mesmos.

Quando
cultivamos a autenticidade, nossos sentimentos entram em
sincronicidade com nossos atos. Deixamos a divisão interior para
quem prefere pautar-se por mandamentos criados por mentes maquiavélicas.
Nossos atos só 'são pássaros engaiolados' se agirmos impulsionados pelos
sentimentos que desconhecemos.


sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Profundo e contundente!

Steve Jobs proferiu este discurso em 2005.
São palavras de um homem que realizou muito neste planeta: fundador da Apple e Pixar Studios.
Sua criatividade e determinação refletem a qualidade dos produtos que desenvolveu. Os 'i': iTunes, iPod, iMac.
Mostram um amadurecimento de quem viveu com intensidade e não se deixou desestimular por aparentes 'derrotas'.
É um vídeo obrigatório, pois além de falar sobre os três estágios mais importantes da vida de cada um de nós, fala do coração, um aspecto de nós mesmos que quase nunca é mencionado no mundo dos negócios.



segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A Idade Média voltou?

Estamos a caminho do obscurantismo?
A Idade Média voltou?
O Inquisição bate de novo em nossa portas?

Até onde vai a absurdidade da repressão sexual, movida pelo descalabro do sentimento de culpa, criado, engordado e transformado num monstro imbatível pelas religiões judáico-cristãs?

Haja hipocrisia!

Erotismo não é pornografia!

Quem luta contra a expressão da energia mais criadora e criativa que temos luta contra si mesmo e torna-se um aleijado emocional.
Basta ver os milhares de exemplos de abusos sexuais criados por uma castidade imposta e impossível.

Sexo é saudável, inocente e puro.

A ignorância e a maldade de mentes doentias é que colocaram toda a lama sobre a rosa.
Eu apóio o Professor Oswaldo Martins Teixeira, demitido da Escola Parque, do Rio de Janeiro, por escrever poesias eróticas, com dignidade e sem medo dos hipócritas que o demitiram.

Leiam a notícia publicada nO Globo

Ontem, na pressa de apoiar antes que o telefone tocasse de novo, esqueci-me de mencionar o blog do colega escritor e poeta. Aqui vai: http://osmarti.blogspot.com

Escolhi, ao acaso, o seguinte poema, do Prof. Oswaldo

5

no louvor de sua língua
um traço de leveduras
acalanta o visgo
o broto florente

do despudor



(Oswaldo Martins)

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Pega leve! Pise suave!

WWF monta rede social para troca de experiências sobre redução da Pegada Ecológica

A imagem ao lado é da entrada na nova rede social criada pela ONG "WWF": PEGA LEVE! O que você pode fazer para reduzir sua pegada ecológica?<< Clique e acesse!

Uma alegria para os internautas que possuam uma banda larga capaz de permitir que as imagens sejam baixadas com rapidez.

Com a nova rede social, a WWF pretende aumentar o conhecimento das pessoas em relação ao meio-ambiente, consumo consciente e sustentabilidade.

O mecanismo usado é o rastro ou 'Pegada Ecológica, calculada em hectares, representa o quanto de áreas produtivas de terra e oceano - de onde se retira alimento, roupas e combustíveis - as pessoas utilizam para manter seu estilo de vida.' como no texto divulgado por eles.

Acessem, cadastrem-se e ajudem o planeta a durar um pouquinho mais...

sábado, 30 de agosto de 2008

Sabe duma coisa?

Precisamos de mais inteligência que vem do coração.
Sabedoria que nasce do carinho.
Afeto que nasce da gratidão.
De quem se mostra, expõe-se e demonstra humanidade!
Que tem coragem de amar e que se permite ser vulnerável.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Eu, "inimigo do povo brasileiro"

Dias atrás causei surpresa e celeuma, quando disse a um conhecido, que não vivemos em uma democracia e sim em uma ditadura do capital.

Heitor Reis que é engenheiro civil, militante do movimento pela democratização da comunicação e em defesa dos Direitos Humanos, membro do Conselho Consultor da CMQV - Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida (www.cmqv.org) foi mais fundo a respeito.

Durante o programa "Comitê de Imprensa" de hoje, 29/07/2008, 14 h, na TV Câmara, o conceituadíssimo jornalista Luiz Carlos Azenha afirmou: "Há um déficit democrático no Brasil. Nem todos participam da democracia brasileira."

Claro que há contra ele a acusação de um fato do conhecimento público: ser correspondente da Rede Globo em Nova York, isto é, soldado do exército inimigo do povo brasileiro, como se pode ver em "Trabalhar para a Globo é crime". www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=453TVQ004

Ainda que sua afirmação seja verdadeira, ela é apenas uma meia-verdade. Como dizem os judeus, "meia-verdade é uma mentira inteira"! Certamente, este conceito de democracia é o censo comum, paradoxal e absurdamente, tanto na direita, quanto na esquerda. Apenas este motivo, nos estimula a realizar um esforço para entendê-lo melhor... Se tiveres tempo, visita Análise dos Tipos de Poder : www.midiaindependente.org/pt/red/2008/05/419423.shtml

Se democracia é o governo do povo, como é possível que parte deste povo não participe do que Azenha e os demais formadores de opinião chamam "democracia"? É isto que se aprende nos cursos de comunicação e outros, cujo diploma assegura ser seu detentor um profissional? Deveria assegurar, né?... Será que ele é formado e diplomado em um curso superior? Será que o entrevistador também e concorda com esta tese, já que nada comentou? A ABI - Associação Brasileira de Imprensa, Fenaj - Federação Nacional dos Jornalistas, OAB - Ordem dos Advogados do Brasil (que apoiou o golpe de 1964 que deu início à Ditadura Pseudomilitar) e outras entidades análogas não duvidam que há uma democracia de verdade no Brasil. Consideram até que houve uma redemocratização após 1985. Como se já tivesse havido alguma democracia antes...

Uma grande parte do povo não participa desta "democracia", se considerarmos que temos 74 % de analfabetos e semianalfabetos, normalmente sub ou des-empregados, famélicos, doentes físicos ou mentais sem tratamento, deficientes excluídos, afrodescendentes, mulheres e homossexuais discriminados, mulheres violentadas diariamente, pobres sem tudo, mas com violência e assassinato em massa, etc. A "democracia" que nossos (de)formadores de opinião defendem e pregam com ênfase atende apenas a uma minoria. E a opinião pública é manipulada por esta opinião publicada, frase que gostaria de ter cunhado.

Se o povo não governa, não há democracia alguma no país. Portanto, caso minha argumentação esteja certa (tente provar o contrário), e se Azenha fosse lúcido e honesto, deveria afirmar que há uma deficiência de 100 % de democracia no país! Ou seja, uma pura, simples e inocente ditadura. E não se trata de um problema limitado a este governo, mas do Estado, desde quando ele existe. "O Estado brasileiro é oligárquico e autoritário." Marilena Chauí prefere não dizer a palavrinha proibida: ditadura!

Por que será que jornalistas formados (ou deformados?), sociólogos, historiadores, geógrafos, etc. continuam a chamar esta forma de governo de democracia? Apenas para não perder a boquinha? São pagos para enganar a sociedade? Ou por pura e simples ignorância? Fazem parte dos analfabetos e semianalfabetos da Nação? São apopléticos? Não tem cérebro? Ou por algum outro motivo oculto?

Quem sabe possessão demoníaca? Se levarmos o que Jesus disse à sério, todo mentiroso é filho do capeta. Talvez um arquétipo...

"Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira." (João 8:44)

Concluo que as faculdades e universidades tem por objetivo impedir que seus alunos pensem de verdade. Os Timothy Mulholland (Unb) da vida faturam elevados lucros e outros, menos corruptos, apenas o salário e alguns privilégios tangíveis e intangíveis. Como em tudo nesta vida, há santas, benditas e honrosas exceções!

Trata-se apenas de uma linha de produção de peças para a engrenagem capitalista de reposição para propiciar lucro a qualquer custo, feitos sob medida para apenas obedecer ao patrão. E, infelizmente, não apenas no jornalismo!... Raros conseguem fugir desta Matrix. Quase todos apenas servem para reproduzir, letra por letra, a ignorância nacional. O diploma assegura a grande possibilidade de que o profissional tenha sido castrado (psicologicamente, claro) o suficiente para ser um pau-mandado bem disciplinado e não causar problemas no processo produtivo. Especialmente ideológicos. http://artigosdepsicologia.wordpress.com/2007/11/03/castracao

Acabo de passar uma semana com os estudantes de comunicação no Enecom 2008 - Encontro Nacional dos Estudantes de Comunicação, em Niterói-RJ e procurei alertá-los quanto ao sistema: corporações, Estado, governos, políticos, universidades, mídia, etc. Ou, modernamente, a Matrix em que vivemos. Um de seus objetivos é nos fazer acreditar que estamos em uma democracia, tanto aqui, quanto nos EUA e no resto do mundo. Assim, fica mais fácil furtar cada centavo do trabalhador. Abocanhar facilmente R$ 1.600,00 do salário-mínimo devido ao operário tuiniquim que deveria ser R$ 2.000,00, conforme o DIEESE.

Quanto mais ainda teremos de pagar para que o capital estrangeiro e nacional não fuja para outro país? Lacaios tem direito à democracia de verdade? Nem na Grécia, onde ela foi idealizada apenas para os senhores de escravos! Na prática, era a mesma ditadura de hoje.
http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=41013 ; http://br.geocities.com/heitorreis2000/grecia.html ; http://br.geocities.com/heitorreis2000/midiaepo.htm

Ao descrever um pouco do que ocorreu no Enecom, fui premiado com publicação na revista eletrônica "O Lobo", de Fausto Wolff e no Observatório da Imprensa. http://www.olobo.net/index.php?pg=colunistas&id=984 ; http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=496FDS006

"A sociedade capitalista não nos oferece senão uma democracia mutilada, miserável, falsificada, uma democracia só para os ricos, para a minoria. A ditadura do proletariado, período de transição para o comunismo, instituirá pela primeira vez uma democracia para o povo, para a maioria, esmagando ao mesmo tempo, impiedosamente, a atividade da minoria, dos exploradores. Só o comunismo está em condições de realizar uma democracia realmente perfeita, e, quanto mais perfeita for, mais depressa se tornará supérflua e por si mesma se eliminará."
http://www.culturabrasil.pro.br/oestadoearevolucao.htm

Assim Lenin também condenava enfaticamente a "democracia só para ricos" a qual se oporia a uma "democracia para o povo". Este revolucionário histórico não conseguiu ir além do censo comum, reproduzindo a ignorância do idioma que usava e afrontando a lógica mais simples, imitado pelos religiosos que o seguiram, ao considerar que um governo do povo (democracia) possa não ser "para o povo", mas "para os ricos". Por que será que ele não chamou esta "democracia capitalista" de "ditadura capitalista", mas adotou "ditadura do proletariado" e não "democracia do proletariado"? Estupidez? Que os discípulos de Freud e Jung nos expliquem! Um brinde à religião marxista:

"Gramsci atribuiu à 'filosofia da praxis', ou seja, ao marxismo,[xvi] a capacidade de organizar e transformar a sociedade, num primeiro momento como 'religião' — no sentido especial atribuído por Benedetto Croce[xvii] — e, em outro, como visão crítica do mundo. Nas palavras de Gramsci: 'Uma concepção do mundo não pode revelar-se como válida e impregnar toda uma sociedade até converter-se em uma fé, se não demonstrar que é capaz de substituir as concepções e crenças anteriores em todos os graus da vida estatal'.[xviii]" http://www.vermelho.org.br/museu/principios/anteriores.asp?edicao=29&cod_not=1061

Pobre da nação cujos(as) jornalistas e revolucionários(as) não sabem a diferença entre uma democracia de fato e uma ditadura do poder econômico! Ou entre uma plutocracia, cleptocracia ou corporocracia... E que precisa de um engenheiro para fazer o serviço que sociólogos, historiadores, geógrafos, filósofos, professores destas ciências e outros não fizeram.

Vamos para o Fórum Social Mundial (FSM) 2009 no Pará e tentar descobrir se um outro jornalismo é possível. Se outra universidade, outro Brasil ou outro mundo é possível mesmo. Se outra conceituação da realidade é possível. E qual a diferença que o diploma de jornalista faz nesta história. Ou a falta dele.

Ano que vem, a gente se encontra em Belém!

(*) Heitor Reis é engenheiro civil, militante do movimento pela democratização da comunicação e em defesa dos Direitos Humanos, membro do Conselho Consultor da CMQV - Câmara Multidisciplinar de Qualidade de Vida (www.cmqv.org). Nenhum direito autoral reservado: Esquerdos autorais ("Copyleft"). Contatos: (31) 3243 6286 - heitorreis@gmail.com

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Viva o Rei da Cocada!

O homem que descobriu a insipidez das palavras e se perdeu no emaranhado das letras.
Que prefere a descrição de uma laranja, a tomar o suco da fruta.
Que goza mais rápido, que o tempo que levou para colocar o pinto dentro.
Que prefere esconder-se por trás de conceitos, a aprender a amar...
Que se apaixonou pelo ranço do academicismo estéril.
Que acha que sabe mais que a sapiência...
Viva a roupa do rei nu...
(Só faltou uma frase a mais para fechar a rima) rsrs

- O texto acima foi publicado originalmente no Orkut. E é dedicado ao Irapuan Martinez,
o Rei dos Chatos.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Desafio a dEUs!

Tô de saco cheio de tanto ouvir as seguintes besteiras: 'graças a deus!', 'vai com deus!', 'foi deus quem ajudou', 'deus é fiel!', 'deus tudo pode!', etc e tal, que resolvi lançar um desafio:

Cara, se você realmente existe, como um monte de religiões exploradoras, sangüinárias e dogmáticas afirmam, prove, executando os seguintes 'milagres':

- acabe com todas as guerras e crimes, já!
- elimine a fome, as doenças e a ignorância imediatamente!
- mande todos os políticos corruptos para o inferno! (se é que este realmente existe... rsrs)
- reduza o aquecimento global antes que o planeta torre!
- ensine as pessoas a respeitarem a si mesmas e ao próximo!
- recupere a saúde mental dos imbecis...
- impeça que muitos de seus 'intermediários' abusem sexualmente de crianças;
- e dê juventude eterna para nossos corpos, pois assim as cirurgias plásticas não serão mais necessárias...
(A lista será editada oportunamente, pois aguardo 'inspiração divina') hehehe...

Mas se você não tem capacidade para isto, favor sumir imediatamente de todas as mentes humanas e parar de amedrontar criancinhas inocentes e adultos que teimam em permanecer infantis!

Para ilustrar, a confissão de um confuso:




E um chat com outra pessoa, que também tem lá suas confusões:

17/7/2008
20:12:19
Zeca
Tem assunto polêmico em meu blog: http://zecabatuta.blogspot.com/2008/07/desafio-deus.html
Divirta-se! rsrs
17/7/2008
20:12:40
Nair
oi
17/7/2008
20:12:50
Nair
ok
17/7/2008
20:15:59
Nair
vc ta louco?
17/7/2008
20:16:14
Zeca
Pour quois?
17/7/2008
20:16:39
Nair
como um homem tão inteligente coloca a culpa em Deus
17/7/2008
20:16:54
Zeca
Leu todos os comentários?
17/7/2008
20:16:55
Nair
da coisas q nós os humanos fizemos
17/7/2008
20:17:05
Nair
ta bem
17/7/2008
20:17:25
Zeca
Você precisa ler tudo. E comente lá, se quiseres...
17/7/2008
20:17:33
Nair
ok
17/7/2008
20:17:48
Zeca
Posso te assegurar: é muito divertido!
17/7/2008
20:17:49
Nair
espere
17/7/2008
20:18:18
Nair
vc quer q Deus conserte os estragos?
17/7/2008
20:18:32
Nair
se tudo q ele criou é perfeito
17/7/2008
20:18:45
Nair
nós é q destruimos
17/7/2008
20:19:52
Zeca
E se somos parte dele, como fica a situação?
17/7/2008
20:20:25
Zeca
E se o próprio processo destrutivo faz parte do circo cósmico?
17/7/2008
20:21:00
Nair
estou vendo ok
17/7/2008
20:21:03
Zeca
ok
17/7/2008
20:21:05
Nair
ja falo com vc
17/7/2008
20:21:43
Zeca
Numa boa!
17/7/2008
20:24:30
Nair
numa boa,
17/7/2008
20:26:22
Nair
ainda bem q vc usou deus minusculo, q não se refere ao Deus criador de todas as coisas...Jesus é filho de Deus...
17/7/2008
20:26:50
Zeca
Ledo engano...
17/7/2008
20:28:20
Nair
e nós fomos criados perfeitos, mais perdemos o direito de viver pra sempre aqui na terra num paraizo perfeito, por causa do pecado q herdamos de adão...
17/7/2008
20:29:03
Zeca
Você quer publicar isto aí no blog como comentário?
17/7/2008
20:29:23
Zeca
Pode ajudar mais gente a entender o 'causo'... rsrs
17/7/2008
20:29:38
Nair
vou fazer isso
17/7/2008
20:30:06
Nair
mais aquilo é orrivel
17/7/2008
20:30:52
Zeca
Sinta-se à vontade para escrever o que quiser.
17/7/2008
20:31:08
Nair
olha , quem sou eu
17/7/2008
20:32:19
Nair
pra achar qualquer coisa, mais ai desafiar a Deus!
17/7/2008
20:32:27
Nair
tem q ter coragem!
17/7/2008
20:32:39
Zeca
Pois é!
17/7/2008
20:32:54
Zeca
E nenhum raio caiu dos céus ainda! rsrs
17/7/2008
20:33:07
Nair
seu maluco
17/7/2008
20:33:17
Zeca
hehehe...
17/7/2008
20:33:25
Zeca
E eu só pedi coisas simples.
17/7/2008
20:33:26
Nair
vc nao deve
17/7/2008
20:33:30
Nair
fazer isso
17/7/2008
20:33:38
Zeca
Por que?
17/7/2008
20:33:46
Nair
olha
17/7/2008
20:33:53
Zeca
Melhor: por que não?
17/7/2008
20:34:15
Nair
q vc esteja de saco cheio com muitas coisas te certo
17/7/2008
20:35:03
Nair
mais ai estas desafiando
17/7/2008
20:35:13
Zeca
Acho que vou modificar o texto...
17/7/2008
20:35:16
Nair
sério mesmo
17/7/2008
20:35:22
Zeca
hehehe!!!!
17/7/2008
20:35:31
Nair
por favor
17/7/2008
20:35:42
Nair
vc é inteligente
17/7/2008
20:35:51
Zeca
Cê já viu Deus? Tocou nele? Deixou-se tocar por ele?
17/7/2008
20:36:00
Nair
nao se refira a Deus desta forma!
17/7/2008
20:36:09
Zeca
O fato de eu ser inteligente é que me dá o direito!
17/7/2008
20:36:21
Nair
por favor
17/7/2008
20:36:41
Nair
vc não precisa disso!
17/7/2008
20:37:11
Nair
Bosco
17/7/2008
20:38:02
Nair
olha, existem muitos deuses nós sabemos disso
17/7/2008
20:38:23
Nair
satanás tambem é um deus
17/7/2008
20:39:33
Nair
o q vc ta pedindo lá é justo
17/7/2008
20:40:33
Nair
mais a maneira de como vc ta pedindo é q me da medo!
17/7/2008
20:40:55
Nair
e tem mais!
17/7/2008
20:41:31
Nair
só Deus é vai vai poder concertar a terra!!
17/7/2008
20:41:46
Nair
disso não tenho dúvida
17/7/2008
20:42:26
Zeca
Ótimo!
17/7/2008
20:43:24
Zeca
Você tem mais algo a acrescentar?
17/7/2008
20:44:18
Nair
eu tambem quero q Deus te perdoe pois vc não quis ofende-lo
17/7/2008
20:44:39
Zeca
Obrigado!
17/7/2008
20:45:54
Nair
pense bem, eu sei, e Deus sabe bem mais ainda q tem q ser feito alguma coisa...
17/7/2008
20:46:27
Nair
ele não se agrada do sofrimento humano
17/7/2008
20:48:29
Nair
olha , tem um monte de motivos pra gente rir de nós mesmos...
17/7/2008
20:48:39
Zeca
O engraçado é que já passou um tempão danado e a cada dia, parece que está pior... Ou será que é só nosso modo de ver as coisas?
17/7/2008
20:50:14
Zeca
Como é possível que 'um deus todo poderoso' possa sentir-se ofendido? Ofender-se não uma característica dos humanos?
17/7/2008
20:52:10
Nair
vc nao se ofenderia se vc fose ele?
17/7/2008
20:54:00
Zeca
Eu me ofendo, às vezes, quando um idiota quer me empurrar da pista da esquerda para a da direita, quando não há espaço suficiente... Sabe por que? Pelo simples fato de eu não gostar de quem dirije como se a estrada fosse só dele...
17/7/2008
20:54:32
Nair
bem, meu amor
17/7/2008
20:54:41
Nair
somos imperfeitos
17/7/2008
20:54:55
Nair
por isso q agimos assim
17/7/2008
20:55:00
Nair
como animais
17/7/2008
20:55:38
Zeca
E não parece ser esta uma qualidade animalesca a de 'sentir-se ofendido'?
17/7/2008
20:56:28
Nair
não acho isso, nao h nada de errado no mundo animal
17/7/2008
20:56:42
Nair
´esta tudo errado no mundo dos humanos
17/7/2008
20:56:56
Zeca
Não foi exatamente isto o que eu escrevi.
17/7/2008
20:57:04
Nair
bem
17/7/2008
20:57:10
Nair
deixa eu ler
17/7/2008
20:57:28
Nair
espere um bucadinho
17/7/2008
20:57:44
Zeca
Não tem a ver com algum erro dos animais...
17/7/2008
20:58:26
Nair
um momento campainha
17/7/2008
20:58:27
Nair
ok
17/7/2008
20:58:32
Nair
o papo ta bom
17/7/2008
20:58:43
Nair
adorei
17/7/2008
20:58:49
Nair
um momento ok
17/7/2008
21:13:46
Zeca
Vou tomar um banho, depois verei um filmezinho nada sagrado e aí já será hora de dormir...

Falar em Deus e não mencionar o Osho é impossível.
Aqui vai uma de suas anedotas a este respeito:


Quando Deus criou o mundo, passou a viver nele, no mercado. Mas sua vida estava se tornando um tormento cada vez maior porque as pessoas não paravam de trazer-lhe queixas: a mulher de fulano está doente, o filho de sicrano morreu, beltrano não consegue arrumar emprego - todo os tipos, todas as espécies de queixas. E as pessoas nem ao menos se preocupavam se era dia ou noite: vinte e quatro horas por dia, ele ouvia queixas e, naturalmente, já não aguentava mais.

Finalmente, consultou seus assessores, que disseram:

- Em primeiro lugar, foi um erro criar o mundo. Agora, fuja, ou essas pessoas vão matá-lo.

Mas Deus disse.
- Fugir para onde?

Alguém sugeriu:
- Vá para o Everest.

Deus retrucou:
- Vocês não conhecem o futuro. Conheço o passado, o presente e o futuro. Logo um sujeito vai chegar lá. E assim que me vir, o mesmo problema vai aparecer: por toda a parte haverá ônibus, estradas, aeroportos, restaurantes, hotéis... porque as pessoas irão lá para queixar-se de problemas e dificuldades. A mesma coisa vai recomeçar.

Alguém falou:
- Então é melhor que você vá para a Lua.

Disse Deus:
- Vocês não entendem. Não há um único lugar em todo o mundo, onde o homem não consiga chegar algum dia.

Um velho assessor, que costumava falar raramente, segredou ao ouvido de Deus:
- Sei de um lugar aonde o homem nunca chegará: simplesmente entre dentro dele. Ele vai procurar em toda a parte - mas nunca dentro de si mesmo.

E Deus respondeu:
- Isso parece ser sensato.

Desde então, Deus mora dentro de você.

Agora, contei-lhe o segredo e o resto depende de você: se quiser ir encontrá-lo, vá para dentro! Mas não se queixe... De fato, ele ficará muito feliz em vê-lo, porque em milhares de anos não tem visto muita gente - só de vez em quando.

E as pessoas que chegam até Ele, conseguem isso ficando silenciosas, alertas, conscientes. Não se queixam - riem.

Afirmo-lhe que Deus ri junto com elas.

---------------------------------------------------------------------------

Deus bíblico pode ser fusão de vários deuses pagãos, dizem especialistas

A afirmação pode soar desrespeitosa para judeus ou cristãos, mas não está muito longe da verdade: Javé, o Deus do Antigo Testamento, parece ter múltiplas personalidades. Para ser mais exato, especialistas que estudam os textos bíblicos, lêem antigas inscrições encontradas nos arredores de Israel ou escavam sítios arqueólogicos estão reconhecendo a influência conjunta de diversos deuses pagãos antigos no retrato de Javé traçado pela Bíblia.

A idéia não é demonstrar que o Deus bíblico não passa de mais um personagem da mitologia. Os pesquisadores querem apenas entender como elementos comuns à cultura do antigo Oriente Próximo, e principalmente da região onde hoje ficam o estado de Israel, os territórios palestinos, o Líbano e a Síria, contribuíram para as idéias que os antigos israelitas tinham sobre os seres divinos. As conclusões ainda são preliminares, mas há bons indícios de que Javé é uma fusão entre um deus idoso e paternal e um jovem deus guerreiro, com pitadas de outras divindades – uma delas do sexo feminino.

O ponto de partida dessas análises é o fundo cultural comum entre o antigo povo de Israel e seus vizinhos e adversários, os cananeus (moradores da terra de Canaã, como era chamada a região entre o rio Jordão e o mar Mediterrâneo em tempos antigos). A Bíblia retrata os israelitas como um povo quase totalmente distinto dos cananeus, mas os dados arqueólogicos revelam profundas semelhanças de língua, costumes e cultura material – a língua de Canaã, por exemplo, era só um dialeto um pouco diferente do hebraico bíblico.

Memórias de Ugarit

Os cananeus não deixaram para trás uma herança literária tão rica quanto a Bíblia. No entanto, poucos quilômetros ao norte de Canaã, na atual Síria, ficava a cidade-Estado de Ugarit, cuja língua e cultura eram praticamente idênticas às de seus primos do sul. Ugarit foi destruída por invasores bárbaros em 1200 a.C., mas os arqueólogos recuperaram numerosas inscrições da cidade, nas quais dá para entrever uma mitologia que apresenta semelhanças (e diferenças) impressionantes com as narrativas da Bíblia. “Por isso, Ugarit é uma parte importante do fundo cultural que, mais tarde, daria origem às tribos de Israel”, resume Christine Hayes, professora de estudos clássicos judaicos da Universidade Yale (EUA).

Uma das figuras mais proeminentes nesses textos é El – nome que quer dizer simplesmente “deus” nas antigas línguas da região, mas que também se refere a uma divindade específica, o patriarca, ou chefe de família, dos deuses. “Patriarca” é a palavra-chave: o El de Ugarit tem paralelos muito específicos com a figura de Deus durante o período patriarcal, retratado no livro do Gênesis e personificado pelos ancestrais dos israelitas: Abraão, Isaac e Jacó.

Nesses textos da Bíblia há, por exemplo, referências a El Shadday (literalmente “El da Montanha”, embora a expressão normalmente seja traduzida como “Deus Todo-Poderoso”), El Elyon (“Deus Altíssimo”) e El Olam (“Deus Eterno”). O curioso é que, na mitologia ugarítica, El também é imaginado vivendo no alto de uma montanha e visto como um ancião sábio, de vida eterna.

Tal como os patriarcas bíblicos, El é uma espécie de nômade, vivendo numa versão divina da tenda dos beduínos; e, mais importante ainda, El tem uma relação especial com os chefes dos clãs, tal como Abraão, Isaac e Jacó: eles os protege e lhes promete uma descendência numerosa. Ora, a maior parte do livro do Gênesis é o relato da amizade de Deus com os patriarcas israelitas, guiando suas migrações e fazendo a promessa solene de transformar a descendência deles num povo “mais numeroso que as estrelas do céu”.

Israel ou “Israías”?

Outros dados, mais circunstanciais, traçam outros elos entre o Deus do Gênesis e El: num dos trechos aparentemente mais antigos do livro bíblico, Deus é chamado pelo epíteto poético de “Touro de Jacó” (frase às vezes traduzida como “Poderoso de Jacó”), enquanto a mitologia ugarítica compara El freqüentemente a um touro. Finalmente, o próprio nome do povo escolhido – Israel, originalmente dado como alcunha ao patriarca Jacó – carrega o elemento “-el”, lembra Airton José da Silva, professor de Antigo Testamento do Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto (SP).

“É o nome do deus cananeu, mais um indício de que Israel surge dentro de Canaã, por um processo gradual”, diz Silva. Ele argumenta que, se Javé fosse desde sempre a divindade dos israelitas, o nome desse povo seria “Israías”. Isso porque o elemento adaptado como “-ías” em português (algo como -yahu) era, em hebraico, uma forma contrata do nome “Javé”. Curiosamente, o elemento se torna dominante nos chamados nomes teofóricos (ligados a uma divindade) dados a israelitas no período da monarquia, a partir dos séculos 10 a.C. e 9 a.C.

E esse nome (provavelmente Yahweh em hebraico; a sonoridade original foi obscurecida pelo costume de não pronunciar a palavra por respeito) é um enigma e tanto. As tradições bíblicas são um tanto contraditórias, mas pelo menos uma fonte das Escrituras afirma que Javé só deu a conhecer seu verdadeiro nome aos israelitas quando convocou Moisés para ser seu profeta e arrancar os descendentes de Jacó da escravidão no Egito. (A Moisés, Deus diz que apareceu a Abraão, Isaac e Jacó como “El Shadday”.) O problema é que ninguém sabe qual a origem de Javé, o qual nunca parece ter sido uma divindade cananéia, exatamente como diz o autor bíblico.

Senhor do deserto

A esmagadora maioria dos arqueólogos e historiadores modernos não coloca suas fichas no Êxodo maciço de 600 mil israelitas (sem contar mulheres e crianças) do Egito, por dois motivos: a semelhança entre Israel e os cananeus e a falta de qualquer indício direto da fuga. Mas muitos supõem que um pequeno componente dos grupos que se juntaram para formar a nação israelita tenha sido formado por adoradores de Javé, que acabaram popularizando o culto. Quem seriam esses primeiros javistas? Uma pista pode vir de alguns documentos egípcios, que os chamam de Shasu – algo como “nômades” ou “beduínos”.

“Duas ou três inscrições egípcias mencionam um lugar chamado 'Yhwh dos Shasu', o que, para alguns especialistas, parece ser 'Javé dos Shasu'. Talvez sim, talvez não. Não temos como saber ao certo”, diz Mark S. Smith, pesquisador da Universidade de Nova York e autor do livro “The Early History of God” (“A História Antiga de Deus”, ainda sem tradução para o português).

“É menos provável que o culto a Javé venha de dentro da Palestina e da Síria, e um pouco mais plausível que ele tenha se originado em certas regiões da Arábia”, diz Airton da Silva. Mark Smith lembra que algumas das passagens poéticas consideradas as mais antigas da Bíblia – nos livros dos Juízes e nos Salmos, por exemplo – referem-se ao “lar” de Javé em locais denominados “Teiman” ou “Paran”. Aparentemente, são áreas desérticas, apropriadas para a vida de nomadismo. “Muitos especialistas localizam essa região no que seria o noroeste da atual Arábia Saudita, ao sul da antiga Judá [parte mais meridional dos territórios israelitas]”, diz Smith.

Guerreiro divino

Seja como for, quando Javé entra em cena com seu “nome oficial” durante o Êxodo bíblico, a impressão que se tem é que ele já absorveu boa parte das características de um outro deus cananeu: Baal (literalmente “senhor”, “mestre” e, em certos contextos, até “marido”), um guerreiro jovem e impetuoso que acabou assumindo, na mitologia de Ugarit e da Fenícia (atual Líbano), o papel de comando que era de El.

Indícios dessa nova “personalidade” de Deus surgem no fato de que, pela primeira vez na narrativa bíblica, Javé é visto como um guerreiro, destruindo os “carros de guerra e cavaleiros” do Faraó e, mais tarde, guiando as tribos de Israel à vitória durante a conquista da terra de Canaã. Tal como Baal, Javé é descrita como “cavalgando as nuvens” e “trovejando”. E, mais importante ainda, uma série de textos bíblicos falam de Deus impondo sua vontade contra os mares impetuosos (como no caso do Mar Vermelho, em que as águas engolem o exército egípcio por ordem divina) ou derrotando monstros marinhos.

Há aí uma série de semelhanças com a mitologia cananéia sobre Baal, o qual derrotou em combate o deus-monstro marinho Yamm (o nome quer dizer simplesmente “mar” em hebraico) ou “o Rio” personificado. Na mitologia do Oriente Próximo, as águas marinhas eram vistas como símbolos do caos primitivo, e por isso tinham de ser derrotadas e domadas pelos deuses.

Javé também é associado à chuva e à fertilidade da terra pelos antigos autores bíblicos – atributos que aparecem entre as funções de Baal. Há, porém, uma diferença importante entre os dois deuses: outra narrativa de Ugarit fala do assassinato de Baal pelas mãos de Mot, o deus da morte, e da ressurreição do jovem guerreiro – provavelmente uma representação mítica do ciclo das estações do ano, essencial para a agricultura, já que Baal era um deus que abençoava a lavoura.

O lado guerreiro de Javé é talvez o mais difícil de aceitar para a sensibilidade moderna: quando os israelitas realizam a conquista da terra de Canaã, a ordem dada por Deus é de simplesmente exterminar todos os habitantes, e às vezes até os animais (embora, em alguns casos, os homens de Israel recebam permissão para transformar as mulheres do inimigo em concubinas).

Textos de outra nação da área, os moabitas (habitantes de Moab, a leste do Jordão) ajudam a lançar luz sobre esse costume aparentemente bárbaro. Um monumento de pedra conhecido como a estela de Mesa (nome de um rei de Moab em meados do século 9 a.C.) fala, ironicamente, de uma guerra de Mesa com Israel na qual o rei moabita, por ordem de seu deus, Chemosh, decreta o herem, ou “interdito”. E o herem nada mais é que a execução de todos os prisioneiros inimigos como um ato sagrado. Tratava-se, portanto, de um elemento cultural de toda a região.

Lado feminino

Se a “múltipla personalidade” de Javé pode ser basicamente descrita como uma combinação de El e Baal, há uma influência mais sutil, mas também perceptível, de um elemento feminino: a deusa da fertilidade Asherah, originalmente a esposa de Baal na mitologia cananéia. Normalmente, Deus se comporta de forma masculina na Bíblia, e a linguagem utilizada para falar de sua relação com os israelitas é, muitas vezes, a de um marido (Deus) e a esposa (o povo de Israel). Mas o livro bíblico dos Provérbios, bem como alguns outras fontes israelitas, apresenta a figura da Sabedoria personificada, uma espécie de “auxiliar” ou “primeira criatura” de Deus que o teria auxiliado na obra da criação do mundo.

Segundo o texto dos Provérbios, Deus “se deleita” com a Sabedoria e a usa para inspirar atos sábios nos seres humanos. Para muitos pesquisadores, a figura da Sabedoria incorpora aspectos da antiga Asherah na maneira como os antigos israelitas viam Deus, criando uma espécie de tensão: embora o próprio Deus não seja descrito como feminino, haveria uma complementaridade entre ele e sua principal auxiliar.
(Fonte: Reinaldo José Lopes / G1) e publicado no
http://noticias.ambientebrasil.com.br/noticia/?id=39552

E para quem quer ir mais fundo:




















Clique na imagem acima para obter o livro, ou aqui.